Quando você pensa em gestão de escolas de natação, o que vem a sua cabeça?

O que é ter uma gestão de escolas de natação eficiente?

O que você pode fazer para que a piscina do seu estabelecimento seja rentável?

Será que basta ter uma estrutura bonita, conservada e funcional?

Será que basta ter uma equipe engajada e bem treinada? Aliás, como se faz isso?

Será que basta estar antenado às novidades, sempre de olho naquilo que é tendência no mercado?

Evidentemente, todos esses pontos são fundamentais. Mas não são apenas a eles que você tem de estar atento. Há muito mais por trás disso na hora de se fazer um planejamento para definir com será a gestão de escolas de natação que se quer fazer.

Vamos, enfim, a eles?

 

Gestão de escolas de natação pede algumas regras

O assunto que diz respeito à gestão de escolas de natação tem recebido cada vez mais atenção nos últimos anos. 

A maior competitividade do mercado, assim como a mudança do perfil do consumidor (mais exigente), obrigam as escolas de natação a terem uma gestão mais eficiente.

Essa alta exigência faz com que as escolas de natação tenham de se profissionalizar cada vez mais. Ter uma boa estratégia de marketing, gestão de custos, recursos humanos, assim como técnica, passou a ser obrigatório para manter o negócio competitivo.

Mas como aumentar a eficiência na gestão de escolas de natação?

Como gerir melhor os recursos mantendo a qualidade do serviço prestado?

Como, então, melhorar o atendimento e a experiência do aluno nas aulas de natação de modo que ele permaneça frequente?

Os seis passos a seguir são um bom caminho para responder a esses questionamentos e, principalmente, para contribuir com a melhora da eficiência na gestão de escolas de natação.

 

1. Defina o seu público-alvo

Esse deve ser um dos primeiros passos no caminho do sucesso na gestão de escolas de natação. Ter um público-alvo bem definido e delimitado, além de entender os nichos de público nos quais você deve focar o atendimento, certamente ajudará muito na estratégia para entrega do serviço e de marketing da empresa.

Alguns estabelecimentos já possuem um perfil de público bem definido. Como é o caso das escolas, por exemplo. Nesse caso, o público principal é a comunidade escolar, cujo perfil é formado por crianças e adolescentes.

A maioria dos estabelecimentos tem a possibilidade de atender a uma maior quantidade de perfis de público. Sobretudo, ao se considerar as características das atividades aquáticas, em especial a natação. 

A natação pode ser oferecida para públicos que vão desde bebês com menos de 1 ano de idade até idosos. 

Mas, afinal, que público deve se estabelecer como alvo? 

Como a natação é uma atividade essencialmente educacional, é natural uma demanda maior para o público infantil. 

70%
das pessoas que frequentam escolas de natação, em média, são crianças, o que sinaliza qual é o maior potencial de mercado e o público para o qual se deve ter foco.

A logística de atendimento às crianças privilegia uma eficiência maior na utilização do espaço. Enquanto em uma raia de 25 metros de comprimento, por exemplo, é possível alocar de dois a três adultos, nessa mesma raia, dividida em três partes iguais reduzidas, é possível alocar de 12 a 18 crianças.

Essas estratégias aumentam o potencial de atendimento do espaço e deve ser considerada quando for definir o público-alvo.

 

2. Adeque o ambiente

Definido o público-alvo, o ambiente precisa estar preparado para atender a esses nichos. Considerando que o público-alvo definido foi de bebês e crianças pequenas, por exemplo, é fundamental ter um ambiente lúdico, colorido, convidativo e no qual essas crianças se sentirão mais estimuladas.

Os pais, em geral, estão mais atentos às questões de acesso e segurança aquática. Além disso, para atender bebês, os vestiários precisam contar com espaços adequados para o banho e a troca. 

A higiene e a limpeza também são muito consideradas por esse público e devem receber atenção especial.

Para ter eficiência na gestão de escolas de natação é necessário fazer essa adequação do ambiente pensando no público-alvo e visando, dessa maneira, melhorar a experiência do aluno.

 

3. Tenha uma metodologia de natação pedagógica e estruturada

Investir em uma metodologia de natação pedagógica e bem estruturada é determinante para a gestão de escolas de natação.

Independentemente do tipo de estabelecimento, ensinar a nadar é uma atividade estritamente educacional. Por isso, é fundamental transformar a piscina em uma “sala de aula” e se posicionar como uma escola de natação. O cliente terá uma percepção de mais valor do serviço prestado.

Como toda escola, é preciso sistematizar o ensino, ter um método de trabalho para garantir que o aluno realmente vai aprender com qualidade e sem riscos. A adoção de uma metodologia de natação pedagógica e estruturada ajuda em diversos aspectos, como por exemplo:

  • Visão clara das etapas pelas quais o aluno vai passar.
  • Unificação da linguagem dos professores.
  • Mais organização e eficiência dos processos.
  • Mais eficiência para a entrega de resultados.
  • Garantia de mais qualidade para o aluno.

Para implementação da metodologia de natação pedagógica e estruturada, há a opção de se construir isso internamente com a sua equipe técnica ou, então, implantar a metodologia de uma empresa especializada disponível do mercado.

 

4. Construa um time competente e engajado

Ter profissionais comprometidos é determinante para ter sucesso na gestão de escolas de natação. Principalmente, na equipe de professores que ministram as aulas e estão em contato permanente com os alunos.

É fundamental que a construção de uma equipe engajada comece com uma boa contratação. As competências que podem ser analisadas nessa contratação de um professor de natação são muitas. Mas quatro delas têm um peso maior: 

  • Paixão
  • Carisma
  • Treinabilidade
  • Ética profissional

Outro fator decisivo na construção de uma equipe de alto desempenho e comprometimento é investir na capacitação. Hoje, há muitas opções de conteúdos gratuitos que podem contribuir para isso, além de cursos voltados para formação continuada do gestor aquático e de professores de natação. 

Portanto, a busca pela atualização constante e a alta capacidade dos profissionais de aprender sempre (aprender a aprender) são vitais para a construção de uma equipe de sucesso.

 

5. Gestão aquática operacional eficiente

A operação de uma piscina pode ser muito cara e a má gestão pode consumir a margem e o resultado do negócio. Por isso, é fundamental ter eficiência operacional na gestão.

Uma boa ação para revisitar sua organização operacional é passar um pente fino nos gastos com a estrutura de funcionamento da piscina.

Quanto se gasta com tratamento, aquecimento, manutenção, entre outros? 

A cada dia, novas tecnologias são lançadas e equipamentos e sistemas de tratamento e aquecimento, ou mesmo da estrutura de manutenção da piscina, se aprimoram. Assim, um investimento nessa área pode reduzir substancialmente os custos da operação.

Outro item que pode ser vilão de uma boa eficiência de gestão de escolas de natação é o gasto com pessoal. 

A folha de pagamento pode representar, em alguns casos, cerca de 40% da receita bruta do negócio.

Assim, é necessário ter uma estratégia para melhor alocação dos recursos humanos, de modo que haja mais eficiência na relação entre número de alunos, área da piscina e quantidade de professores.

Essa alocação deve estar organizada a fim de não comprometer a entrega de qualidade para os alunos.

30%
da receita é em quanto devem ficar, em geral, os gastos com esse item.

Relacionada com o item acima, está a gestão eficiente do espaço da piscina. É comum observar turmas de adultos, que possuem menos potencial de volume de atendimento, alocadas em horários que seriam mais rentáveis com atendimento ao público infantil. 

Piscinas divididas no formato tradicional das raias, com dois ou três alunos, no máximo, por espaço. Ou, ainda, um professor dando aula para três ou quatro níveis diferentes (iniciantes e avançados), o que compromete definitivamente a qualidade e a entrega do resultados. Logo, a evasão.

Revisite o “mapa de ocupação” da sua piscina, analisando onde estão esses erros ou gargalos. 

Na organização do espaço da piscina, é preciso quebrar a visão das raias posicionadas tradicionalmente e, dessa maneira, pensar em criar “salas de aula” com espaços reduzidos, em especial, para as turmas infantis e de iniciantes. 

É fundamental ter o equilíbrio entre atendimento de volume, qualidade da aula e segurança dos alunos nessa organização. Ou seja, pense na coisa de maneira global.

 

6. Invista em marketing digital

Com toda essa estrutura organizada, o público precisa saber quais os diferenciais da sua escola de natação. Deixar claro o posicionamento da empresa por meio de comunicação interna e externa e, principalmente, canais digitais.

Além do reforço no marketing institucional, primordialmente, você tem de ter uma estratégia para engajamento dos clientes e para atração e captação de novos, o que tem impacto positivo direto na gestão de escolas de natação. 

O marketing de conteúdo é a forma mais efetiva de fazer o público saber e valorizar o que você faz. O mais interessante é que todo o conteúdo gerado para divulgação pode vir da própria “comunidade” que faz parte do seu estabelecimento. 

Artigos, fotos, vídeos e depoimentos, por exemplo, somados a uma estratégia adequada, podem contribuir para aumentar o engajamento e a retenção dos alunos e melhorar a captação de novos.

 

SOBRE O AUTOR DESTE POST:

João Paulo de Moura é licenciado em Educação Física (Mackenzie), especialista em Fisiologia do Exercício (UNIFESP), Gestão de Qualidade de Vida no Trabalho e Sustentabilidade (FIA) e possui MBA em Gestão Comercial (FGV). É líder de Marketing e Vendas  da Metodologia Gustavo Borges, na qual atua há mais de nove anos com gestão aquática.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *