Propor atividades que integram as habilidades aquáticas ao bom convívio social é por em prática os Quatro Pilares da Educação e promover o desenvolvimento global da criança pela natação.

Desenvolvimento como acontece?

A natação pode fazer muito pelo desenvolvimento global da criança.

Desde o nascimento até o envelhecimento, o organismo humano passa por diversas mudanças funcionais relacionadas à idade e às experiências individuais.

Tais mudanças seguem um padrão de aumento progressivo de complexidade até a idade adulta. E regridem progressivamente durante o envelhecimento. Dessa forma, o processo sofre forte influência das experiências vividas durante a infância e a adolescência.

Por esse motivo, é muito importante oferecer uma variedade de estímulos nas três dimensões do desenvolvimento: movimento, raciocínio e relações sociais.

Movimento

Enquanto aprendem a nadar, as crianças são estimuladas a entender as respostas do corpo dentro d’água. Uma vez que, sob o efeito da força de flutuação, da resistência e da pressão, os exercícios estimulam a coordenação motora e o controle do equilíbrio. Além de promover o aumento da resistência cardiovascular e a força muscular, importantes para um crescimento saudável.

Analogamente, a consciência corporal se consolida durante a infância e adolescência. No adulto, essa consciência já deveria, em teoria, estar bem estruturada. Entretanto, parte das dificuldades de movimentação nessa mesma faixa etária pode estar relacionada à carência esportiva. Pois as atividades físicas são práticas onde o movimento é naturalmente estimulado.

Raciocínio

Piaget realizou um extenso estudo sobre o desenvolvimento da inteligência na criança. Foi responsável por desenvolver a Teoria Cognitiva e postular desenvolvimento do raciocínio em quatro estágios:

  1. sensório-motor (0 a 2 anos);
  2. pré-operatório (2 a 7 anos);
  3. operatório-concreto (7 a 11 anos);
  4. operatório-formal (a partir dos 12 anos).

Respeitando as características do desenvolvimento do raciocínio infantil em cada período, as aulas de natação da Metodologia Gustavo Borges são estruturadas para oferecer os estímulos adequados para que a aprendizagem seja uma experiência inesquecível.

Nas aulas para crianças de 2 a 7 anos, por exemplo, os professores utilizam histórias, personagens e aulas temáticas. Criando, dessa forma, atividades que propiciam o desenrolar da imaginação. Nesse período da vida, segundo Piaget, o raciocínio da criança é fundamentado no simbólico. Justamente por esta razão, é comum uma criança brincar com uma caneta e imaginá-la como uma varinha mágica, um avião, um navio, etc. 

Relações sociais

Aprender a conhecer, aprender a fazer, aprender a ser e aprender a conviver. Esses são os Quatro Pilares da Educação propostos por Jacques Delors, em documento para UNESCO, adotados por inúmeras escolas e organizações envolvidas com a educação por meio esporte.

Propor atividades que integrem as habilidades aquáticas ao bom convívio social é por em prática os Quatro Pilares da Educação. Atividades como: trabalhar por meio da resolução de problemas, estimular o compartilhamento de materiais, tarefas e responsabilidades, o cuidado com o ambiente (desde a piscina até a preservação da natureza) e criar condições para a cultura do autoconhecimento e da autoestima.

 

Para entender melhor como trabalhamos o desenvolvimento global por meio da natação, conheça mais sobre a Metodologia Gustavo Borges.

 

Conheça a Metodologia

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *